Rádio Engenho Velho

sábado, 29 de setembro de 2012

A BRIGA NA PROCISSÃO

Por Chico Pedrosa

Quando Palmeira das Antas
pertencia ao Capitão Justino Bento da Cruz
nunca faltou diversão:
vaquejada, cantoria,
procissão e romaria
sexta-feira da paixão.

Na quinta-feira maior, 

Dona Maria das Dores
no salão paroquial
reunia os moradores
e depois de uma preleção
ao lado do Capitão
escalava a seleção
de atrizes e atores

O papel de cada um 

o Capitão escolhia
a roupa e a maquilagem
eram com Dona Maria
e o resto era discutido,
aprovado e resolvido
na sala da sacristia.

Todo ano era um Jesus, 

um Caifaz e um Pilatos
só não mudavam a cruz,
o verdugo e os maus-tratos,
o Cristo daquele ano
foi o Quincas Beija-Flor,
Caifaz foi o Cipriano,
e Pilatos foi Nicanor.

Duas cordas paralelas 

separavam a multidão
pra que pudesse entre elas
caminhar a procissão.

Cristo conduzindo a cruz 

foi não foi advertia
o centurião perverso
que com força lhe batia
era pra bater maneiro
mas ele não entendia
devido um grande pifão
que bebeu naquele dia
do vinho que o capelão
guardava na sacristia.

Cristo dizia: “Ôh, rapaz, 

vê se bate devagar
já tô todo encalombado,
assim não vou agüentar
tá com a gota pra doer,
ou tu pára de bater
ou a gente vai brigar.
Eu jogo já esta cruz fora
tô ficando revoltado
vou morrer antes da hora
de ficar crucificado”.

O pior é que o malvado 

fingia que não ouvia
além de bater com força
ainda se divertia,
espiava pra Jesus
fazia pouco e dizia:

"Que Cristo frouxo é você, 

que chora na procissão
Jesus pelo que se sabe
não era mole assim não.
Eu tô batendo com pena,
tu vai ver o que é bom
é na subida da ladeira da venda de Fenelon
que o couro vai ser dobrado
até chegar no mercado
a cuíca muda o tom".

Naquele momento ouviu-se 

um grito na multidão
era Quincas que com raiva
sacudiu a cruz no chão
e partiu feito um maluco
pra cima de Bastião.

Se travaram no tabefe, 

ponta-pé e cabeçada
Madalena levou queda,
Pilatos levou pancada
deram um bofete em Caifaz
que até hoje não faz
nem sente gosto de nada.

Desmancharam a procissão, 

o cacete foi pesado
São Tomé levou um tranco
que ficou desacordado,
acertaram um cocorote
na careca de Timóti
que até hoje é aluado.

Até mesmo São José, 

que não é de confusão
na ânsia de defender
o filho de criação
aproveitou a garapa
pra dar um monte de tapa
na cara do bom ladrão. 

A briga só terminou 

quando o Doutor Delegado,
interviu e separou
cada Santo pra seu lado.

Desde que o mundo se fez, 

foi essa a primeira vez
que Cristo foi pro xadrez,
mas não foi crucificado.

sábado, 15 de setembro de 2012

SUPERSTIÇÕES



Entre inumeros mitos e supertições, passar embaixo de uma escada pode trazer muito azar para a pessoa. Muitas pessoas acreditam nisso. (Divulgação)
Passar debaixo da escada, topar com gato preto, deixar o chinelo virado ao contrário, tudo isso não passa de Supertições. Ainda hoje o povo brasileiro e da população do mundo acreditam que se você tomar algumas medidas, coisas que tragam má sorte podem acontecer a você, e ao contrário, no caso de conseguir evitar, boa sorte você terá. A supertição nada mais é do que uma crença que procura uma relação com uma causa e um efeito, e que tal explicação não caberia a nossa lógica formal. Geralmente, vemos algumas presentes nas nossas próprias tradições populares e vem sendo passada dentro de casa, de pai para filho, ou na memoria social de cada ser humano.

Superstições Comuns

Algumas das supertições mais comuns estão presentes no nosso dia a dia e nem percebemos, como sobre o dia temido de “Sexta-feira 13” ou nocaso quando a palma da nossa mão coça, dizemos que é dinheiro e que não devemos coçá-lo para o mesmo não ir embora. Outra bem conhecida é que se a sua orelha esquentar do nada é porque tem alguém falando mal de você e para parar de arder, você  tem que dizer o nome dos possíveis suspeitos até parar. Quando perdemos alguma coisa, qualquer coisa, para quem apelamos? São Longuinho! E promete que se achar tal objeto ainda daremos três pulinhos. Quem quebrar um espelho terá sete anos de azar, e ainda dizem que se você olhar num espelho quebrado, você quebra sua própria alma.
Outra tradição é  que se você estiver dentro de casa, mantenha o guarda-chuva sempre fechado para não chamar chuva. Quando você fala alguma coisa e quer que o azar vá embora, bata três vezes no tranco da madeira e ele irá. Seja qual for a sua supertição, não custa nada prevenir do que remediar, afinal o seguro morreu de velho.
Uma superstição negativa com os gatos pretos, onde as pessoas agredidam na sua ligação com bruxaria e acreditam que se avistarem um, pode trazer assombração para sua residencia. 
Fonte: Sempre tops

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

SECULT LANÇA V EDITAL MECENAS DO CEARÁ

As inscrições iniciam nesta segunda-feira,10, e seguem até o dia 11 de outubro.
A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará-Secult lança o V Edital Mecenas do Ceará. O edital, no valor de R$ 14.364.000,00, tem como objetivo apoiar projetos artísticos-culturais apresentados por pessoas físicas ou jurídicas e que tenham como finalidade o fortalecimento do setor cultural cearense e a promoção do desenvolvimento social e econômico do Estado do Ceará, cuja data de início de execução esteja compreendida entre o período de janeiro a dezembro de 2013. As inscrições iniciam nesta segunda-feira,10, e vão até o dia 11 de outubro de 2012.

Os interessados deverão ser maiores de 18 anos, residentes e domiciliados no Ceará, desenvolvam atividades culturais comprovadas há pelo menos um ano, tenham relação direta com o objeto do projeto a ser realizado e que suas atividades contemplem as áreas artísticas e culturais presentes no edital.

Todos os projetos apresentados na presente seleção deverão desenvolver em seu processo de execução a produção de bens e serviços que englobem as áreas das artes visuais e fotografia, audiovisual, teatro, dança, circo, música, arte digital, literatura, livro e leitura, patrimônio material e imaterial, artes integradas (projetos que contemplem mais de uma linguagem artística).

O envelope de inscrição deverá ser entregue no setor de Protocolo da SECULT, 5° andar, no horário de 8h às 16h30, ou encaminhado por meio dos serviços de postagem de correspondência da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos - ECT, na modalidade SEDEX e/ou Correspondência, ambos com aviso de recebimento (AR).

Maiores informações
Sistema de Incentivo Estadual de Cultura- SIEC/ Secult
(85) 8878 8996 – siec@secult.ce.gov.br

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

FJN REALIZARÁ IV SEMANA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA


IV SEMANA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA
EDITAL 12/2012
A Direção da Faculdade de Juazeiro do Norte - FJN torna público através deste edital, as informações para realização da IV Semana de iniciação Científica da Faculdade de Juazeiro do Norte, que acontecerá de 17 a 20 de Outubro de 2012. O tema a ser abordado durante a semana de Iniciação Cientifica será: AS MÚLTIPLAS PERSPECTIVAS DA DIVERSIDADE CULTURAL E O DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO NO SERTÃO. 

A Semana de Iniciação Científica é um evento que se encontra inserido no calendário acadêmico desta instituição, que tem como objetivo divulgar e disseminar conhecimentos produzidos nas áreas Exatas, Humanas e Saúde, assim como gerar uma maior integração entre professores, alunos e com a comunidade local. Através de conferências, palestras, mesa-redonda, minicursos e apresentação de trabalhos científicos.

A Semana de Iniciação Científica surge para proporcionar uma oportunidade de formação científica aos alunos em graduação e profissionais das diferentes áreas do conhecimento e atuação, visando despertar importância para as atividades de pesquisa e extensão com ampla divulgação para a comunidade acadêmica, científica e em geral.

O evento proporcionará significativas oportunidades de troca de troca de experiências e informações entre profissionais, estudantes, pesquisadores, IES, órgãos colegiados, ONGs e a comunidade em geral, articulando o processo de ensino-aprendizagem por meio do desenvolvimento de atividades de capacitação, tais como: palestras e minicursos com ênfase na pesquisa e extensão e na cultura local. A participação dos acadêmicos nas palestras e minicursos proporcionarão o enriquecimento curricular e a oportunidade única de obter conhecimentos acerca de temáticas específicas voltadas para a realidade da região.

1. Objetivos

1.1 Objetivo geral
Proporcionar aos participantes a oportunidade de discussão de temas relacionados com a sustentabilidade cultural e o desenvolvimento científico em meio às adversidades do sertão nordestino, como também, sua influência no Ensino,
Pesquisa e Extensão, por meio da exposição e debate de assuntos relacionados ao desenvolvimento científico no âmbito regional e nacional.

1.2 Objetivos específicos
· Promover o saber através da pesquisa e extensão na Região do Cariri;
· Despertar na Comunidade Acadêmica o interesse pela pesquisa científica;
· Integrar os saberes regionais com atividades de pesquisa entre docentes e discentes;
· Desenvolver a discussão de temas importantes da investigação científica nas áreas: da saúde e humanas, e que se tornam relevantes para a sociedade;
· Continuar divulgando os cursos desta instituição através da extensão e da pesquisa, afirmar o papel, as funções e as esferas de atuação do profissional dos cursos de Farmácia, Enfermagem, Nutrição, Ciências Contábeis e Sistemas de Informação na sociedade;
· Divulgar os eventos sociais desenvolvidos por nossos alunos nas diversas áreas;
· Divulgar pesquisas científicas por meio de publicações e através dos resultados proporcionar aplicabilidade dos conhecimentos adquiridos na região.

2. Da Inscrição
2.1 Poderão participar do evento alunos, funcionários e professores de instituições de ensino superior, centros e fundações de pesquisa, organizações não-governamentais, consórcio de entidades sem fins lucrativos.


2.2 As inscrições como participante do evento, seja como apresentação de trabalho, ouvinte, ou para minicursos deverão ser efetuadas no site www.fjn.edu.br no período de 13 de agosto a 30 de setembro do corrente ano, com investimento de acordo com o tipo de inscrição.
Tipo de Inscrição Estudantes FJN Estudantes Profissionais
Com apresentação de trabalhos 25,00 30,00 40,00
Ouvinte 20,00 25,00 35,00
Minicursos 20,00 25,00 30,00

3. Submissão de trabalhos
3.1 A submissão de trabalhos está vinculada a inscrição do autor apresentador. Cada participante só poderá fazer a exposição de apenas dois trabalhos, podendo ser co-autor de outros trabalhos. Sendo possível acatar um orientador em mais de um trabalho. Os trabalhos estarão subordinados a 4 (quatro) áreas: (1) saúde, (2) sociais, (3) exatas, (4) cultural.

3.2 Os relatos de casos e revisão de literatura deverão estar vinculados a uma dessas áreas. A inscrição deverá ser realizada na internet no site www.fjn.edu.br, ficando sob responsabilidade do participante o preenchimento correto dos campos, pois a partir dela serão confeccionados os certificados.


3.3 Serão aceitos trabalhos com no máximo 06 integrantes, contando com o(s) orientador(es).

4. Apresentação de trabalhos
4.1 As apresentações serão realizadas através de Comunicação Oral ou Painel, ficando essa definição a cargo dos autores.

4.2 Para a apresentação oral, cada apresentador disporá de 10 minutos para apresentação do trabalho e serão reservados pelo menos 5 minutos para perguntas e debates.

4.3 Serão disponibilizados para apresentação Oral, os seguintes recursos: Projetor Multimídia e notebook com entrada para CD/Pen Drive. Os trabalhos gravados em CD/Pen drive devem ser entregues ao coordenador da seção com antecedência mínima de 20 minutos ao horário de início da mesma.

4.4 Os Painéis deverão ser apresentados nas dimensões: 0,90m de largura por 1,20m de altura com logomarca da instituição de origem centralizada na borda superior em tamanho visível a pelo menos 5cm de distância. Os itens obrigatórios são: introdução, objetivo, material e métodos ou metodologia, resultados, conclusões ou considerações finais e referências.

4.5 Os painéis para apresentação serão expostos na FJN. Os trabalhos deverão ser afixados nos locais determinados pela comissão organizadora. Apresentado pelo autor ou co-autor, no local onde constam os números fornecidos pela comissão organizadora e retirados no final do dia.

4.6 A apresentação dos trabalhos deverá seguir o horário determinado pela comissão organizadora do evento, o qual será informado por cronograma afixado nas salas de aulas e
quadros de avisos da instituição. Os participantes que não estiverem presentes no horário determinado para apresentação, não poderão fazê-lo em outro momento.

5. Normas para Elaboração do Resumo
O Resumo deve ser digitado em português no local indicado no site www.fjn.edu.br. Deverá ser precedido pelo título do trabalho, seguido pela indicação de autoria (Autor(es) máximo de cinco e orientador), acompanhado do Laboratório/Departamento/ instituição a que os autor(es)
pertencem. O resumo deve conter uma breve introdução, objetivos, métodos, resultados e conclusões, conter entre 400 a 600 palavras. A ordem destes itens dependerá do tipo de resumo e do tratamento que cada item recebe no documento. Recomenda-se uso de parágrafo único. Após o resumo, deverão ser colocados os descritores ou palavras – chave que consistem nos termos indicativos do conteúdo do trabalho apresentado.

6. Análise de trabalhos
6.1 Os trabalhos serão analisados pelo comitê científico do evento no período de 01 a 05 de outubro e o aceite dos resumos será publicado no dia 08 de outubro, com a numeração a ser respeitada na colocação dos banners para exposição e avaliação. Para seleção de resumos serão considerados os seguintes critérios: clareza, consistência e encadeamento nos conceitos e resultados expostos; coerência entre objetivos e metodologia da pesquisa;
resultados; ortografia e gramática. Os resumos, quando fora do padrão estabelecido serão automaticamente desqualificados para publicação.

6.2 Os trabalhos serão avaliados de acordo com os seguintes critérios: relevância do tema; abrangência e coerência dos objetivos; procedimentos adequados à seleção do local e sujeitos da pesquisa; levantamento e apresentação dos dados; estatísticas realizadas; método de análise proposto coerente com o problema; vocabulário adequado, contribuições do estudo para ampliação do conhecimento, uso do tempo disponível e recursos para exposição. Para as apresentações em painéis também estarão sendo avaliados os elementos ilustrativos de acordo com as especificações do item 4 deste edital.

7. Minicursos
Só será possível a inscrição em apenas um minicurso e a inscrição apenas será concluída após a confirmação do pagamento de inscrição em minicursos.

8. Dos Certificados
8.1 Cada trabalho inscrito corresponde à emissão de um certificado entregue ao apresentador, contendo o nome de todos os integrantes inscritos como autores. Os apresentadores que não estiverem presentes no horário determinado para apresentação do trabalho não receberão o
certificado.

8.2 É de inteira responsabilidade do participante o preenchimento correto da ficha de inscrição para confecção do certificado, assim, será cobrada taxa de emissão da 2ª via.

8.3 A comissão organizadora deste evento terá autonomia para resolver os casos omissos neste edital.

9. Exposição de Extensão
9.1 A exposição de extensão inclui todos os projetos ativos na FJN, com apresentação em BANNER tamanho 60cm x 90cm, apresentando o projeto, seus objetivos e os resultados parciais obtidos, até o momento, com o local de exposição a ser definido pela comissão organizadora do evento.

9.2 A exposição desses banners será permanente durante todo o período da IV Semana de Iniciação Científica da FJN, ficando a cargo do expositor a retirada do banner no final da atividade de que trata este edital. Os banners de trabalhos científicos deverão ser acompanhados pelo autor principal no momento de sua avaliação.

Publique-se, registre-se, cumpra-se.
Juazeiro do Norte - CE, 21 de junho de 2012.
Prof. José Marcondes Macedo Landim
Diretor Geral

REGULAMENTO DO I CONCURSO DE LITERATURA DE CORDEL DA FJN
DISPOSIÇÕES GERAIS
Art. 1º O Concurso tem por finalidade promover e fortalecer a prática cultural da literatura de cordel no meio acadêmico.

DO TEMA
Art. 2º O presente Concurso tem por finalidade selecionar trabalhos que
evidenciem ou se relacionem com o tema “Desenvolvimento Científico no Sertão”.

DOS PARTICIPANTES
Art. 3º Poderão participar do I Concurso de Literatura de Cordel da FJN, cordelistas profissionais e amadores e acadêmicos com interesse na literatura de cordel de todas as IES da região. 

Categorias determinadas:
Categoria I: Cordelistas profissionais e amadores
Categoria II: Acadêmicos

Art.4º É vedada a participação no Concurso de servidores do quadro de pessoal da FJN e membros da Comissão Julgadora.

DA INSCRIÇÃO
Art. 5º A inscrição dos trabalhos Literários de Cordel para o Concurso será gratuita e ocorrerá a partir do dia 13 de agosto até o dia 30 de setembro devendo ser feita no site da FJN: http://www.fjn.edu.br/iniciacao

Art. 6º Cada participante poderá concorrer com, no máximo, 03 (três) literaturas, porém, só uma obra será premiada ou selecionada.

Art. 7° O concurso será individual, sendo vedados trabalhos apresentados com dupla autoria;

Art. 8º Para garantir a proteção da autoria das obras Literárias de Cordel, durante o julgamento, serão sumariamente rejeitadas as obras em que conste o nome do autor, o qual deverá constar, exclusivamente, da ficha de inscrição.

DA FORMA DE APRESENTAÇÃO
Art. 9º As obras Literárias de Cordel deverão ser apresentadas com no mínimo 12 estrofes e no máximo 18 estrofes.

Art. 10º Para o processo de seleção não serão aceitas as Literaturas que não obedeçam às normas deste Regulamento, obras já publicadas ou indevidamente copiadas.

Art. 11º Os cordelistas inscritos no I Concurso de Literatura de Cordel da FJN serão os únicos responsáveis pela apresentação ou remessa das obras literárias, respondendo, inclusive, pela utilização indevida de literatura de outros autores que não o titular da inscrição.

DA AVALIAÇÃO DOS TRABALHOS
Art. 12º A seleção das obras literárias será feita por Comissão Julgadora, composta por 5 (cinco) membros, personalidades de saber técnico e profissional comprovado, na área do conhecimento da literatura de cordel, que serão designados pelo Coordenador do Projeto I Concurso de Literatura de Cordel da FJN.

Art. 13º O julgamento será realizado tendo como critério os elementos que regem as Literaturas de Cordel: MÉTRICA, RIMA e ORAÇÃO, bem como a obediência ao Tema do Concurso.

DOS PRÊMIOS E DA DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS E DA PREMIAÇÃO
Art. 14º Serão premiadas as duas primeiras literaturas classificadas para cada categoria, cujos autores receberão R$ 1.000,00 (mil reais) o primeiro lugar e 500,00 (quinhentos reais) o segundo lugar, bem como o recebimento de 250 exemplares da obra, impressos pela FJN, para livre comercialização e /ou divulgação.

Art. 15º O resultado do julgamento será disponibilizado nas dependências da FJN e no site da IES. Os autores das literaturas premiadas declamarão seus cordéis na abertura da IV Semana de Iniciação Científica da FJN.

Art. 16º Quando do julgamento, será firmada ata pela Comissão Julgadora, da qual constará parecer conclusivo acerca do julgamento e expostas quando da entrega do prêmio.

Art. 17º As decisões da Comissão Julgadora serão irrecorríveis, não se admitindo quaisquer recursos.

DISPOSIÇÕES FINAIS
Art. 18º As quatro literaturas premiadas passarão a fazer parte do acervo da FJN e poderão ser reproduzidas ou utilizadas em trabalhos, publicações (internas ou externas, não comercializadas), cartazes ou quaisquer outros meios de promoção e divulgação do patrimônio cultural, inclusive através da mídia, mediante citação do respectivo crédito ao cordelista, sem que caiba ao autor das obras literárias direito à percepção de qualquer valor, inclusive a título de direitos autorais, além dos prêmios estipulados neste edital.

Art. 24º A assinatura da ficha de inscrição por parte dos cordelistas implica na aceitação das normas determinadas para o I Concurso de Literatura de Cordel da FJN, a prévia concordância com a exposição das duas primeiras literaturas de cada categoria que vierem a ser premiadas, bem como a concessão dos direitos autorais patrimoniais dessas obras literárias a FJN.

domingo, 2 de setembro de 2012

CASINHA DE TAIPA


Claude - Flor da Serra Verde


Uma casinha de taipa
Com os pés fincados no chão
As telhas desembeiçadas
Lá fora, majericão
No terreiro dois banquinhos
Tamboretes no salão


As redes sempre armadas
Café com pão no fogão.
Onde está essa casinha
Que guardo com emoção?
Será que ainda vejo
Essa casa do sertão?


Mãe Mina fazendo renda
Diva fiando algodão
Seu Mané vindo da roça
Zeca com os pés no chão
Tixixa moendo milho
Dinha fazendo feijão


Água no pote friinha
E os canecos de latão
Zefinha lá no terreiro
Correndo atrás de um capão
Chiquim indo buscar lenha
No jumento de Antão


No terreiro a cajarana
Se espalhando pelo chão
E nos galhos escondidos
A zuada do cancão
Espantado com o ritmo
De Maria no pilão


Na cerca se espalhavam
As vaquinhas de melão
Era assim essa casinha
Do chão batido de terra
Que ficava lá na serra
Onde está meu coração.


sábado, 1 de setembro de 2012

ENCONTRO DE CULTURA REALIZADO EM JUAZEIRO DO NORTE



Foi realizado nos dias 30 e 31 de agosto no Memorial Padre Cicero, na cidade de Juazeiro do Norte, o Encontro de Cultura do Cariri, para fortalecer as políticas culturais dos municípios da nossa região. A organização do evento ficou a cargo da Secretaria de Cultura do Município e contou com a participação de Gestores, produtores, funcionários das Secretarias de Cultura, artistas, representantes de Pontos de Cultura, de ONGs, agentes culturais, e a sociedade civil.

Juazeiro do Norte foi o escolhido para sediar o Encontro por já possuir todas as leis e estruturas necessárias a implantação do seu sistema municipal de cultura que permitirá receber recursos Municipal, Estadual e Federal diretamente para o Fundo Municipal de Cultura, cujas ações, programas e projetos deverão estar alinhados ao Plano Decenal da Cultura. Esses recursos serão gerenciados pela Secretaria da Cultura, com a fiscalização do Conselho Municipal de Política Cultural.

Os participantes do Encontro tiraram suas dúvidas com o representante regional da Funarte – Fundação Nacional de Artes Reinaldo Freire, Naldinho, a consultora da Unesco para o Sistema Nacional de Cultura, Liduina Lins e a Coordenadora Geral de Ações Empreendedoras – SEC/Minc, Suzete Nunes. Entre os destaques das reuniões, informações importantes sobre as ações e editais da Funarte além da atual situação do Sistema Nacional de Cultura, que tem ao seu dispor 40% do valor global do orçamento do Fundo Nacional de Cultura para repasse às localidades que já desenvolveram seus planos municipais e estaduais voltados ao setor.