Rádio Engenho Velho

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

CONVERSA COM O JOVEM

Por: Francisco Aldo Luna Gomes– 30/1/13

A balada, “as mina”, os amigos... como é bom ser jovem! Mas você já se perguntou que tipo de gente você é?Já questionou o quanto pode ser útil à comunidade? Compreendeu o real significado do verbo aproveitar?

Peço licença para este colóquio que julgo tão imprescindível. Responda-me, você não acha que está na hora de pensar? Pensar numa sociedade melhor, realmente civilizada? Não é incrível tantas perdas humanas e ambientais?

Você pode me dizer o motivo de tanta intolerância? Quer me esclarecer por que tanto exagero? Claro que falo de um modo geral, não são todos iguais. Mas como dói tantas belezas e futuros sombrios..

No Brasil, bem mais da metade é usuário de álcool. Mais de sete por cento, doentes viciados, sem perspectivas. Das ilícitas, cada vez mais visíveis, os números são terríveis. Em relação ao mau uso das redes sociais, as estatísticas são crescentes.

Ainda há aqueles que se acham melhores, os materialistas. Se têm o “tablet da hora”, o ipad, a câmera de tantos pixels, Sentem-se mais fortes, cobiçáveis, poderosos... mas vazios. Bonitos, mas pobres de argumentação, de conteúdo...

Em relação ao gosto musical, que pena...não é musica o que escutam. Afinal, não pode ser belo o que destrói, o que enlameia a alma. A música tem outras vertentes: o coração, o cérebro, o espírito. Assim, valoriza-se o ritmo, a harmonia, a letra, a interpretação...

Jovem, converse com o seu espelho em busca de outras perguntas. Escreva uma nova história em prol da construção de uma nova realidade. Como nos anos de chumbo, una-se para lutar com bravura, inquietude. Tão passageira, a vida merece muito mais do que isso...

Você pode perguntar por onde começar, então eu digo: Abasteça-se de conhecimento, leitura, sabedoria. Não dedique tanto tempo apenas à diversão, ao doce. A vida não pode se resumir a um face ou a um book.

Seja curioso, perceba o mundo competitivo. Enquanto tecla tanto, outros estudam com ardor. Conquistam os melhores lugares e você fora da fila... Organize o seu tempo para melhor aprender e curtir.

Entre com toda garra no mundo da aprendizagem. Valorize a literatura, quanto mais livros mais crescimento. Você pode ver muito além na tela de um monitor. Use a tecnologia em seu favor e faça o que disse o Raul:

“Queira! (Queira!). Basta ser sincero. E desejar profundo.

Você será capaz de sacudir o mundo. Vai! Tente outra vez!

Tente! (Tente!) E não diga que a vitória está perdida,

Se é de batalhas que se vive a vida...Han! Tente outra vez!...”







domingo, 27 de janeiro de 2013

ESTUDANTES DE JORNALISMO DA UFC VISITAM BLOCOS CARNAVALESCOS DE BARBALHA

Um grupo de aproximadamente 30 estudantes de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará esteve visitando os blocos carnavalescos do Bairro do Rosário no último dia 26. A visita faz parte de um Projeto da UFC em parceria com o BNB Cariri. Todos os estudantes foram recepcionados, pelos representantes dos blocos carnavalescos, com muito frevo com a frevioca dos Batutas do Rosário e samba com a Bateria do Bloco Foliões do Maguary. Presentes, além da comunidade, as seguintes pessoas: Panticola representado o Império dos Lobisomens, Israel pelos Goteiras, Nazareno e Gija pelo 2ª do Mela-Mela, Luciano e Ró pelos Bêbados Melado e Lisos, Jackson representado o Segura a Macaxeira, Willianful, Andrei e Leozão pelos Foliões do Maguari, além dos jovens do bloco No Coador é mais forte.

O Encontro foi organizado pelo Professor Thiago Coutinho e o compositor e Poeta Francisco de Assis, Tiquinho, sendo o primeiro contato dos estudantes da UFC com os nossos blocos carnavalescos.

É o Bairro do Rosário colocando o nome da nossa cidade na história do carnaval cearense através dos nossos blocos.












segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

POR QUE ATÉ O PAPA TEM MEDO DO PADRE CÍCERO?



O cardeal Joseph Ratzinger conduziu durante dez anos o processo para beatificação e posterior canonização do padre cearense: Cícero Romão Batista.
Não há, no Vaticano, quem conheça melhor a vida e os “milagres” do Padre Cícero. O cardeal Ratzinger é o maior especialista sobre o Padre Cícero, dentro da Igreja Católica.

O cardeal Joseph Ratzinger virou o Papa Bento XVI e esperava-se que ele desse sequencia ao processo que conduziu na condição de cardeal, mas qual o quê?

O processo empacou no Vaticano.
Para entender a peleja do Vaticano com o Padre Cícero cabe lembrar que a Santa Sé temia que a liderança religiosa do Padre cearense levasse à criação de uma Igreja Católica, Apostólica e Brasileira.

Sim, porque a que está aí é Romana.

Na década de 1930, o Vaticano designou o reitor do Convento de Brindsi, o frei Pio Giannotti, para liderar a “Santa Missão” destinada a fortalecer o poder da Santa Sé na região mística do sertão nordestino.

Nessa região, especialmente na região das “sete cidades” do sertão do Cariri, expandiu-se o fanatismo religioso que, ao contrário do que muitos pensam, não começou com o Padre Cícero – antes dele, prevaleceu a pregação do “padre Ibiapina”, uma espécie de precursor do Padre Cícero.

Ibiapina era um advogado em Recife que, por desilusão amorosa, renunciou a toga e vestiu uma batina. Começou a pregar e a criar as chamadas “Casas de Caridade”, o que assustou os padres franceses que administravam o Convento de Fortaleza.

Pressionado pelo Vaticano, o “padre Ibiapina” capitulou. Mas, quando o Vaticano pensava que tinha resolvido o problema, deu-se o “milagre” da beata Maria de Araújo – que fez surgir o Padre Cícero como novo líder espiritual na região do Cariri.

Em 1931, o ex-reitor do Convento de Brindsi, Pio Giannotti, desembarcou no Brasil e mudou de nome. Passou a se chamar “frei Damião de Bozzano”.

Soldado combatente na I Guerra Mundial, nada revelava na figura baixinha do Frei Damião esse passado de guerreiro. E, no Brasil, ele se desincumbiu com sucesso da tarefa dada pelo Vaticano e, se não conseguiu eliminar totalmente o prestígio do padre Cícero, pelo menos conseguiu dividi-lo.

E, por ironia, há quem o compare à reencarnação do Padre Cícero – o que o Frei Damião rechaçava com mau humor, sob a alegação de que o Padre Cícero desobedeceu ao papa.

Mas, gente, passado tantos anos e diante dessa oportunidade de ser o papa atual o responsável pelo processo de canonização do Padre Cícero, não é estranho que a Igreja Católica Romana ainda tema o prestígio do padre cearense?

Quem sabe esse temor se deve ao fato de o Padre Cícero ser o único líder religioso no mundo que não foi peregrino?

O padre Cícero nunca saiu do Juazeiro. As pessoas é que vão lá, ainda hoje, para reverenciá-lo.


Roberto Villanova/Demontiêr Tenório