Rádio Engenho Velho

sábado, 21 de maio de 2016

FESTA DE SANTO ANTONIO TERÁ RODA DE CASAMENTO EM SUA ABERTURA

VÍDEO


O Vigário da Paróquia de Santo Antonio de Barbalha, Padre Alencar Ferreira, atendendo sugestão de Francisco Demontiêr Vieira (Panticola) e Maria Goretti Pereira, produtores culturais da cidade, resolve abrir os festejos de Santo Antonio com uma Roda de Casamento com cinco casais. Os casamentos acontecerão logo após a missa do sábado à noite, 28/05, onde os recém-casados, após a cerimônia, participarão de uma recepção promovida pelos produtores, com o corte do bolo, bebidas e muito forró pé de serra nas quermesses ao lado da Igreja Matriz.

“Faltava este elemento na Festa de Santo Antônio de Barbalha. Santo Antônio é reconhecido no Brasil todo, principalmente no Nordeste, como o Santo Casamenteiro. Nada mais justo que abrir a sua festa com uma roda de casamento. Levamos a ideia ao nosso Vigário, Padre Alencar, que entendeu perfeitamente a mensagem e, teremos, portanto, uma grande inovação na nossa maior festa”, afirma Panticola.

Todo evento conta com o apoio da Paróquia de Santo Antonio, da ONG Engenho Velho – Ponto de Cultura, Bolos DiLígia, Secretaria de Cultura e Central da Pizza.


quarta-feira, 4 de maio de 2016

 A Sociedade Artística e Cultural Engenho Velho, com sua sede em construção no Sítio Cabeceiras, zona Rural do município de Barbalha, foi reconhecida hoje, 04 de maio de 2016, como Ponto de Cultura, após avaliação da Comissão Certificadora da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura.

A certificação simplificada como Ponto de Cultura, por meio da Plataforma Rede Cultura Viva é, um processo seletivo simplificado, aberto permanentemente, destinado ao reconhecimento de entidades e coletivos culturais como Pontos de Cultura.

Tal reconhecimento garante a entidades uma chancela institucional importante para a obtenção de apoios e parcerias e permite ainda que ela se articule com os outros pontos da rede a partir de afinidades temáticas ou do pertencimento a um determinado território. O cadastro possibilita ainda o acompanhamento permanente das atividades desenvolvidas pelo Ministério, assim como de editais e eventuais articulações.

Os projetos foram avaliados por uma comissão paritária que reúne representantes da sociedade civil, do Ministério da Cultura, da Secretaria Nacional de Economia Solidária e da Fundação Nacional das Artes (Funarte). A análise é realizada com base em alguns critérios, alinhados às diretrizes e normativos da Política Nacional de Cultura Viva.