Rádio Engenho Velho

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

BRASIL GANHA MAIS UM BEM INSCRITO COMO PATRIMÔNIO CULTURAL IMATERIAL

Festa do Pau da Bandeira de Santo Antonio de Barbalha (CE) reúne uma enorme gama de ofícios, celebrações e formas de expressão de diferentes grupos locais

Reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural  na sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em Brasília, decidiu por unânimidade o pedido de Registro da Festa do Pau da bandeira de Santo Antônio de Barbalha (CE) como Patrimônio Cultural do Brasil. A Festa é uma tradição que se reitera e se atualiza. Além da sua relevância nacional engloba a memória, a identidade e a formação da sociedade brasileira. É também, uma referência cultural importante que foi exercida, principalmente, pelas camadas populares do nordeste brasileiro um dos grupos formadores da nacionalidade, além de ser um dos momentos fundamentais na construção e afirmação da identidade da população de Barbalha, da região do Cariri e do Ceará. A partir de agora, a Festa está inscrita no Livro de Registro das Celebrações.
Durante a reunião do Conselho, o Iphan fez uma homenagem a Cícero Ricarte que morreu durante os festejos, enquanto carregava o Pau da Bandeira. Leia a íntegra da homenagem.

Os festejos a Santo Antônio de Pádua ocorrem desde o final do século XVIII, quando foi erguida uma capela em devoção ao santo, dando origem ao desenvolvimento da cidade de Barbalha. São treze dias de festa em homenagem ao padroeiro. A data central é o domingo mais próximo de 31 de maio, dia do Carregamento e Hasteamento do Pau da Bandeira. É um evento que envolve praticamente todos os segmentos sociais da localidade, demonstrando um protagonismo claro dos Carregadores do Pau, grupo formado por representantes das classes populares de Barbalha, responsáveis pela escolha e corte do tronco que será transformado no mastro. No dia do Carregamento, que acontece desde 1928, eles percorrem os cerca de sete quilômetros que separam o local de preparação do mastro e a Praça da Matriz de Santo Antônio no centro de Barbalha, com o Pau da Bandeira às costas. 

A comunidade católica é responsável pela Trezena – ciclo de orações onde a imagem do santo peregrina por diversas casas durante os 13 dias que separam o 31 de maio e o dia de Santo Antônio. Por fim, em 13 de junho, ocorre a procissão de Santo Antônio que fecha o ciclo festivo com uma missa na Igreja Matriz. Uma enorme gama de ofícios, celebrações e formas de expressão são acionadas por diferentes grupos. O Cortejo do Pau é um deles e vem cercado por celebrações e rituais que conformam o grande complexo que a Festa se tornou, com destaque para o Desfile de Folguedos.

O pedido de registro da Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio de Barbalha (CE) como Patrimônio Cultural do Brasil foi apresentado pela Prefeitura Municipal de Barbalha com endosso da Superintendência do Iphan-CE, do Instituto Cultural do Vale Caririense (ICVC), do Centro Pró-Memória de Barbalha Josafá Magalhães, do Presidente da Câmara Municipal e da União das Associações de Barbalha (UNAB), e com a anuência dos representantes e membros de grupos de carregadores do pau e outros grupos participantes da festa. 

Conselho Consultivo
O Conselho que avalia os processos de tombamento e registro é formado por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia. Ao todo, são 23 conselheiros, que representam o Instituto dos Arquitetos do Brasil – IAB, o Conselho Internacional de Monumentos e Sítios - Icomos, a Sociedade de Arqueologia Brasileira – SAB, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – Ibama, o Ministério da Educação, o Ministério das Cidades, o Ministério do Turismo, o Instituto Brasileiro dos Museus – Ibram, a Associação Brasileira de Antropologia – ABA, e mais 13 representantes da sociedade civil, com especial conhecimento nos campos de atuação do Iphan.





Nenhum comentário: